sexta-feira, 26 de março de 2010

DOLZ, J.,M NOVERRAZ, M., e SCHNEUWLY, B. 'Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento'. In: DOLZ, J. e SCHNEUWLY, B. "Gêneros orais e escritos na escola". Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 95-128.

Professores e futuros professores de português têm encontrado alguns desafios para articular o que têm aprendido na academia com a sala de aula. Como trabalhar com gêneros textuais sem que a aula se reduza meramente à repetição de atividades desarticuladas de interpretação e produção de textos? Qual metodologia mais adequada para se trabalhar a língua, a partir de uma visão sociointeracionista? Estas são algumas das perguntas formuladas pela maioria dos profissionais hoje.


Com base no postulado de que “é possível ensinar a escrever textos e a exprimir-se oralmente em situações públicas escolares e extra-escolares", os professores Joaquim Dolz, Michèle Noverraz e Bernard Schneuwly foram responsáveis por organizar uma coleção de livros didáticos intitulada “Exprimir-se em Francês: seqüências didáticas para o oral e a escrita” (S’exprimer en français: séquences didactiques pour l’oral et pour l’écrit. Bruxelas: De Boeck, 2001), material pensado para a realidade do ensino francês como língua materna, mas de grande utilidade para o ensino de línguas de um modo geral.

O texto “Seqüências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento”, que se encontra no livro “Gêneros orais e escritos na escolas”, organizado por Dolz e Schnewly, é originalmente a apresentação dessa coleção, a fim de fazer com que o professor possa refletir sobre o ensino de língua por meio de seqüências didáticas construídas em torno de gêneros textuais. A partir de uma breve reflexão sobre alguns problemas no ensino de língua, os autores apresentam o procedimento da seqüência didática, como meio de sanar tais deficiências no ensino. O procedimento se estrutura com base no seguinte esquema: “Apresentação da situação”, “Produção inicial”, “Módulos” e “Produção final”. Após apresentá-lo, os autores discutem os princípios teóricos subjacentes ao procedimento, o caráter modular da seqüência didática, a relação com outras dimensões de ensino de língua e a organização do conjunto da coleção, justificando o modo de progressão proposto para cobrir a totalidade da escolaridade obrigatória do ensino francês. Dessa forma, os autores descrevem todo o procedimento da seqüência, assim como os embasamentos teórico-metodológicos que guiaram seu desenvolvimento. O texto é de fácil compreensão e leva o leitor a refletir de fato sobre o processo metódico que deve ser a construção de uma seqüência didática. Por se tratar, porém, tão somente de uma apresentação de coleção de livros didáticos, para aquele que não consegue ter acesso a essa coleção, o texto apresenta falta de exemplos que permita uma visualização concreta da proposta, que se baseia numa visão bakhtiniana de gêneros textuais. De acordo com os autores, o domínio de um gênero textual permite ao aluno “escrever ou falar de uma maneira mais adequada numa dada situação de comunicação”. Apesar de a realidade do ensino de francês na maior parte dos países francófonos ser bastante diferente da brasileira, o texto apresenta importantes elementos para nossa reflexão, na medida em que consubstancia uma série de valores que têm sido difundidos na universidade brasileira, mas que até então não haviam encontrado uma aplicação mais concreta. Para explorar a coleção S'exprimer en français, siga o link . (Rafael Mauro Ferreira Silva; aluno do Curso de Letras da UFMG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário